RENATA FONSECA

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Mulher na história: Antonia Ford Willard
Olá pessoal!



Essa é uma foto de Antonia Ford Willard (1838 - 1871). Enquanto as forças da União ocupavam a região de Fairfax, em meados de 1861, Antonia circulava entre os oficiais e recebia informações valiosas sobre os pontos fortes das tropas e seus movimentos. Ela repassava tudo ao brigadeiro J.EB Stuart, em cuja artilharia o seu irmão servia. No início de 1863, Ford foi traída por Frankie Abel, um de seus amigos, e foi presa em Washington. Ela foi acusada de ter um papel de destaque na captura de Edwin H. Southghton, um brigadeiro dos confederados. Por falta de provas, ela foi liberada uma semana depois, mas foi presa novamente poucas semanas depois pelo major Joseph Williard, com que ela se casaria e teria três filhos. Com problemas de saúde ligados ao seu cativeiro, Antonia morreu em 1871, e seu marido, que se tornaria vice-governador da Virgínia, nunca se casou novamente.

Fonte: Fotografia da história 
https://www.facebook.com/profile.php?id=361826160564868

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Estilista: Dener Pamplona de Abreu
Olá pessoal!

Hoje vou falar sobre Dener Pamplona de Abreu um dos grandes estilistas brasileiros.




Nascido no arquipélago do Marajó em 3 de agosto de 1937, em 1945 sua família mudou-se para o Rio de Janeiro, onde começou a desenhar seus primeiros vestidos. Seu primeiro contato com a moda teve lugar em 1948, com apenas treze anos de idade, na Casa Canadá, então importante butique carioca.

Dois anos depois, em 1950, após fazer o vestido de debutante de Danuza Leão, foi contratado para um estágio com Ruth Silveira, dona de um importante ateliê, onde aprimorou seus desenhos. Em 1954, transferiu-se para São Paulo para trabalhar na butique Scarlett. Três anos depois, inaugurou seu próprio ateliê, denominado Dener Alta-Costura, na Praça da República. No ano seguinte ganhou dois prêmios por sua coleção, sendo descoberto pelos meios de comunicação. Seu ateliê foi então transferido para a Avenida Paulista.



Instalou-se em São Paulo em 1960, quando a Rua Augusta começava a se tornar a passarela da moda. Bem relacionado, eclético e generoso, frequentava redutos gays, vestia as Matarazzo, Simonsen e Trussardi e as cantoras Maysa, Tuca e Elis Regina, de quem foi padrinho do casamento com Ronaldo Bôscoli. Apadrinhou também o costureiro Ronaldo Esper e a poeta Hilda Hilst, era amigo de Guilherme de Almeida, virou poema de Lupe Cotrim.



Em 1963, já prestigiado, foi escolhido o estilista oficial da primeira-dama da República, Maria Teresa Fontela Goulart, esposa de João Goulart. Casou-se com Maria Stella Splendore em 1965. Ela tinha apenas 16 anos e, desde o exílio da família Goulart, nenhuma mulher havia brilhando tanto junto a ele. O vestido de noiva era um deslumbre: um longo de seda pura bordada com minipompons de vison e cauda de 15 metros de tule francês. O casamento teve apelo de pop star e uma inesperada multidão se aglomerou na Igreja do Carmo atrapalhando até o sermão do padre pelo microfone. O casamento acabou em 69. Seis anos depois, Dener casou-se com Vera Helena, ex-Jordan, sua cliente, amiga e conterrânea. 






Foi Dener o primeiro estilista a sofrer um atentado político – uma rajada de metralhadora contra seu Lincoln presidencial preto em julho de 68. Foi Dener que transformou a ópera “Carmem” em música acelerada em um desfile em 1970.

Para participar da encenação da Paixão de Cristo na tradicional festa de Nova Jerusalém (PE), Dener preparou um modelo de marajá de cetim azul, com turbante de seda branca adornado por uma imensa esmeralda. Carregado por escravos, sua fala era breve: “Herodes, sua festa é um luuuxo”. E a multidão de 50 mil pessoas foi ao delírio.

Em 1968, fundou a "Dener Difusão Industrial de Moda", considerada a primeira grife de moda criada no Brasil. Em 1970 foi convidado a participar do júri de "Programa Flávio Cavalcanti“ que determinava o que era “um luxo” e o que era “um lixo”, na extinta TV Tupi. Dois anos depois lança sua autobiografia, Dener - o luxo, e o livro Curso Básico de Corte e Costura. Ao longo dos anos 70, Dener disputou com Clodovil Hernandes o título de papa da alta costura brasileira. Em 1975 casou-se novamente, desta vez com uma cliente, Vera Helena Carvalho, separando- se em 1977.

Dener dizia que para ele havia uma grande diferença entre a mulher bem vestida, a chique e a elegante. De olho nas tendências, que são lançadas pelas elegantes, ele idealizou e criou uma nova categoria: a mulher luxo. “Mulher luxo: quando aparece no salão, todos sabem que alguém chegou e não é a governante! A mulher luxo é fora de série, hors concours. Criei essa classificação para acompanhar o desenvolvimento brasileiro”, afirmou o estilista em sua autobiografia Dener, o Luxo. Para ele, a mulher luxo não lança, mas consagra a moda lançada pelas elegantes.

Seus problemas com o alcoolismo agravaram-se em 1978, morrendo em 9 de novembro do mesmo ano em decorrência de uma cirrose hepática.


http://cultura.estadao.com.br/noticias/geral, estilista-dener-criador-da-alta-costura-brasileira-morria-ha-35-anos,1094693
https://pt.wikipedia.org/wiki/Dener_Pamplona_de_Abreu

@renatafashionfonseca